Curso de formação continuada

 

CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA LEITURA E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Objetivo: Estabelecer orientações nacionais e formar professoras de Educação Infantil para desenvolver o trabalho com a linguagem oral e escrita, em creches e pré-escolas.

Carga horária: 120 horas

Duração: 2 semestres

 


Download da apresentação


  1. Os objetivos e a estrutura do curso

O curso “Leitura e Escrita na Educação Infantil” tem como objetivo geral a formação de professoras de Educação Infantil para que possam desenvolver, com qualidade, o trabalho com a linguagem oral e escrita, em creches e pré-escolas. A complexidade dessa tarefa levou-nos a estruturar o curso em oito cadernos, destacando, em cada um deles, determinado tema, sempre tratado em suas inter-relações com os dos demais cadernos. Os cadernos são compostos por três textos, escritos por diferentes autores, o que permite ampliar o diálogo sobre teorias e práticas que informam e dão concretude ao trabalho docente.

Caderno 1 – Ser docente na educação infantil: entre o ensinar e o aprender

Unidade 1: Docência e formação cultural

Unidade 2: Docência na Educação Infantil: contextos e práticas

Unidade 3: Leitura literária entre professoras e crianças

Caderno 2 – Ser criança na Educação Infantil: infância e linguagem

Unidade 1: Infância e linguagem

Unidade 2: Infância e cultura

Unidade 3: Desenvolvimento cultural da criança

Caderno 3 – Linguagem oral e linguagem escrita na Educação Infantil: práticas e interações

Unidade 1: Criança e cultura escrita

Unidade 2: Linguagem oral e linguagem escrita: concepções e inter-relações

Unidade 3: Criança, linguagem oral e linguagem escrita: modos de apropriação

Caderno 4 – Bebês como leitores e autores

Unidade 1: Os bebês, as professoras e a literatura: um triângulo amoroso

Unidade 2: Bebês: interações e linguagem

Unidade 3: Brincar, cantar, narrar: os bebês como autores

Caderno 5 – Crianças como leitoras e autoras

Unidade 1: Leitura e escrita na Educação Infantil: concepções e suas implicações pedagógicas

Unidade 2: As crianças e as práticas de leitura e escrita na Educação Infantil

Unidade 3: As crianças e os livros

Caderno 6 – Currículo e linguagem na Educação Infantil

Unidade 1: Currículo e Educação Infantil

Unidade 2: Observação, documentação, planejamento e organização do trabalho coletivo na Educação Infantil

Unidade 3: Avaliação e Educação Infantil

Caderno 7 – Livros infantis: acervos, espaços e mediações

Unidade 1: Livros infantis: critérios de seleção – as contribuições do PNBE

Unidade 2: E os livros do PNBE chegaram…: situações, projetos e atividades de leitura

Unidade 3: Os espaços do livro nas instituições de Educação Infantil

Caderno 8 – Diálogo com as famílias: a leitura dentro e fora da escola

Unidade 1: Aprender a ler e a escrever: as expectativas das famílias e da escola

Unidade 2: Literatura e famílias: interações possíveis na Educação Infantil

Unidade 3: Leitura e escrita: conquistas e desafios para a formação continuada

Encarte para as famílias: Conta de novo?! As famílias e a formação literária do pequeno leitor

 

  1. Metodologia do curso

O curso “Leitura e Escrita na Educação Infantil” foi planejado para implementação na modalidade presencial. Possui material didático-pedagógico próprio, os cadernos, cujas unidades são estruturadas em seções que procuram articular teoria e prática. Cada unidade deve ser objeto de encontro presencial, precedido pelo estudo individual. A seguir detalham-se a estrutura do material didático e as atividades do curso.

2.1. Material didático-pedagógico

Conforme mencionamos anteriormente, o material pedagógico do curso, formado pelos oito cadernos, foi elaborado de modo a proporcionar a articulação entre ciência, arte e vida, buscando uma unidade de sentido na qual o professor possa relacionar conhecimentos teórico-científicos com diferentes manifestações artístico-culturais e com seu cotidiano na Educação Infantil.

Os conceitos e as formulações teóricas são aprofundados e articulados com manifestações artísticas – poemas, contos, letras de música, reproduções de obra de arte, fotografias, etc. – e com o trabalho pedagógico junto às crianças de creches e pré-escolas. Assim, ao longo do curso, são muitas as oportunidades de dialogar com livros de literatura, textos informativos, filmes, desenhos animados, jogos, imagens, sites, blogs, etc., o que contribui para a ampliação da formação cultural tão necessária à docência.

Leva-se em conta, nas unidades, que professores e crianças têm conhecimentos e experiências que precisam ser considerados. Assim, os textos buscam estabelecer o diálogo com os sujeitos envolvidos – crianças, professores e famílias. As produções originais de autores que compõem a literatura fundamental da área/tema são objeto de referência para possibilitar o acesso do professor e contribuir para sua autonomia acadêmica e profissional.

Sempre que pertinente, são feitas referências à Lei de Diretrizes e Bases, às Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, ao Plano Nacional de Educação, às Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica, às Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais, entre outros marcos legais. O Programa Nacional Biblioteca da Escola, dada a sua relevância como política de leitura, é objeto de estudo e trabalho em um dos cadernos. O material didático-pedagógico foi elaborado

para utilização em curso de formação docente; portanto, pressupõe a mediação e o trabalho sistemático de acompanhamento.

Cada unidade contém a seguintes seções:

  1. Iniciando o diálogo

Introduz o tema a ser trabalhado e explicita os objetivos que o cursista deve atingir ao final da unidade.

  1. Corpo do texto/unidade

Desenvolve as ideias e os conceitos, trazendo o embasamento teórico e localizando referências bibliográficas. Procura mobilizar os conhecimentos prévios do cursista, de modo a promover a recuperação de informações ou de experiências que o professor já tenha sobre o tema. Propõe questões sobre práticas docentes para análise e reflexão. Articula o tema tratado com produções artísticas – poemas, contos, imagens, reproduções de obras de arte, entre outros – e o cotidiano da Educação Infantil. Na conclusão, retoma a questão inicial, fechando o ciclo de ação-reflexão-ação ressignificada.

  1. Compartilhando experiências

Apresenta atividades realizadas por professores em contextos educativos concretos para que os cursistas possam ver materializadas as discussões e os princípios abordados na unidade, levando em consideração as diferentes faixas etárias das crianças da Educação Infantil.

  1. Reflexão e ação

São propostas atividades que possibilitem à cursista a reflexão sobre a temática abordada (dinâmicas, atividades, debates, respostas a perguntas, etc.). São também recomendadas situações práticas a serem desenvolvidas pelas professoras-cursistas com as crianças e compartilhadas com as colegas nos encontros seguintes (por exemplo, observação e registro do cotidiano, leitura de material, perguntas para debate, proposta de registro, etc.).

  1. Aprofundando o tema

São indicados textos impressos, filmes ou vídeos que devem ser lidos ou vistos; perguntas que os relacionam ao texto da unidade solicitam respostas, como atividade obrigatória.

  1. Ampliando o diálogo

Textos são sugeridos para leitura complementar, bem como vídeos e filmes. Além da referência completa, é apresentada a sinopse ou a ficha técnica dessas indicações.

  1. Referências

Apresentam informações completas de documentos citados no texto, de acordo com normas da ABNT, permitindo a sua identificação individual.

Destaca-se com relação aos textos que:

(1) Na interlocução, optou-se pelo uso do genérico feminino, ou seja, professora, por ser o corpo docente que atua na Educação Infantil majoritariamente feminino. Apesar de reconhecermos que tem crescido o número de homens no magistério, mais de 95% dos postos docentes são ocupados por mulheres.

(2) Alguns nomes de autores aparecem com diferentes grafias nas referências bibliográficas. Por exemplo: Vigotski, Vygotsky. Optou-se por não uniformizar a grafia nos diversos textos, mantendo-se a forma como o nome aparece na publicação em questão. O nome de Vigotski pode ser transliterado de formas diferentes em nosso alfabeto, donde as variações.

2.2. Atividades individuais e coletivas

Nas seções das unidades, como visto, são propostas às cursistas várias atividades de estudo e pesquisa individuais. Estas são realizadas antes dos encontros presenciais, que devem constituir momento de discussão e reflexão coletiva. A estruturação dos encontros presenciais é atribuição da equipe docente do curso, porém deve prever um momento para leitura e discussão do registro realizado sobre a sessão anterior (ver item 1, a seguir). Além dessas atividades pertinentes às unidades, o curso prevê que as professoras formem grupos de leitores de literatura (item 2).

  1. Registro coletivo das experiências

A cada encontro presencial de estudo da unidade, uma ou mais professoras cursistas se responsabilizam pela elaboração da memória das discussões, tendo liberdade para escolher a forma da escrita. Essa memória, aqui denominada ata, sem com isso significar um formato específico de texto, é apresentada e debatida no encontro seguinte. Quando é lida para o grupo, recebe contribuições, sugestões e retificações e passa a compor o caderno coletivo, que registra a experiência compartilhada e a memória produzida por todas as participantes.

A escrita da ata e sua leitura no encontro seguinte permitem que tenhamos não só a memória do processo de aprendizagem, mas, principalmente, que se possa criar um ritual de autoria, de inserção no grupo pela escrita, de expressão de interesses, interpretações, de apresentação de um novo texto, assegurando o espaço individual de criação. Os vários textos assim produzidos compõem o Caderno Coletivo do grupo.

  1. Grupo de leitura literária

Visando criar uma oportunidade, entre outras, para que as professoras vivenciem a prática da leitura literária e, ao mesmo tempo, para que ampliem as possibilidades de acesso ao universo literário, o curso propõe que seja organizado um programa de leitura e de discussão de obras literárias a ser desenvolvido ao longo do curso.

Essa atividade é planejada pelas cursistas ao final do primeiro caderno, no qual são relatadas experiências similares à proposta. Para seu bom funcionamento, o grupo deve elaborar um pequeno projeto explicitando os objetivos, as obras a serem lidas, a metodologia, o cronograma, os papéis dos participantes, os convidados (caso optem por trazer ao grupo alguém externo a ele), entre outros aspectos que devem ser pactuados.

3. Carga horária

No mínimo, 120 horas presenciais, com a duração de dois semestres letivos.

Cada uma das 24 unidades será trabalhada em quatro horas/aula, perfazendo um total de 96 horas. As horas restantes serão dedicadas à leitura e à discussão de livros de literatura (grupo de leitura) e a outras atividades propostas pela instituição responsável pela implementação do curso.

 

  1. Avaliação e certificação

As estratégias e os critérios de avaliação do curso, bem como da certificação, devem ser definidos pela instituição ofertante do curso, segundo suas normas.